O OLHO E A VISÃO  
 

A visão é o mais valioso de nossos sentidos.
O formato do olho proporciona um esboço perfeito para o foco, seleção, absorção e regulagem da intensidade dos raios de luz. A interpretação das imagens transportadas ao olho pela luz acontece no cérebro.

Com freqüência ouvimos dizer que o olho é a "janela do corpo". Existem alguns males que afetam este órgão ou o processo visual de alguma forma. Em virtude disto, muitos especialistas médicos confiam no exame do olho para o diagnóstico ou monitoração de várias doenças.

 
  CUIDADOS COM A VISÃO  
     
  Na Gravidez  
 

Toda mulher deve seguir corretamente o pré- natal, evitando assim, problemas de visão (e outros) da mãe e do bebê que vai nascer.
Se doenças como a rubéola e a toxoplasmose, afetarem as mães até o 3º mês de gravidez, podem prejudicar também a criança, acarretando problemas neurológicos e de cegueira.
Portanto, não deixe de fazer o pré - natal durante a gravidez.
Tenha sempre em mente que uma gravidez tranqüila, terá como recompensa um bebê sadio e feliz!

 
  Em Bebês  
 

Os bebês podem ser afetados pela conjuntivite, logo nos primeiros dias de vida.
Se os pais perceberem qualquer sintoma como vermelhidão, irritação, lacrimejamento, devem levar o bebê ao especialista o mais rápido possível.

 
  Na Infância  
 

A infância é uma fase importante do desenvolvimento, pois é nela que muitas doenças podem ser detectadas e tratadas. A criança vai desenvolvendo a visão desde o seu nascimento, até uma visão completa, aos 7 anos de idade.O primeiro exame deve ser realizado aos três anos, se não aparecerem sinais antes disto.
Se a criança se queixar de dor de cabeça ou mal estar após algum esforço visual, apresentar desinteresse por leitura, franzir a testa para enxergar objetos distantes, ou se aproximar muito de cadernos ou livros para ler, procure um oftalmologista (médico especialista em olhos) que irá avaliar, através de exames específicos, se essa criança está precisando usar óculos.
Se isto for realmente necessário, os pais devem encarar a questão com naturalidade, para que a criança se sinta segura e tranqüila para usá-los e o tratamento seja bem sucedido.

 
  HIGIENE E ALIMENTAÇÃO  
 

A higiene e a boa alimentação são importantes em qualquer parte da vida, para a pessoa crescer bem, trabalhar e ter saúde. Podem evitar e prevenir uma série de doenças quando aplicadas corretamente.
Hábitos de higiene simples, como o banho diário, lavar as mãos antes e depois de ir ao banheiro e antes de comer, ferver ou filtrar a água utilizada para beber e preparar os alimentos, manter a casa limpa e livre de insetos, são suficientes para prevenir a maioria das enfermidades.
Para ter força e saúde, nosso corpo tem que receber alimentos nutritivos e de todos os grupos, diariamente.
Veja os grupos importantes para a sua alimentação:

 
  Proteínas  
 
Leite, queijo, ovos, requeijão, carnes, aves e peixes (proteínas animais);
Soja, feijão, ervilha, pinhão, castanha de caju e do Pará, lentilha, amendoim (proteínas vegetais);
 
  Amidos (Fornecem Energia);  
  Trigo, arroz, aveia, macarrão, pão, mandioca, mandioquinha, cará, batata doce, inhame, milho, canjica, curau, pamonha, fubá, banana.  
  Açúcares;  
  Açúcar, mel, cana de açúcar, melado, rapadura, bolo, doces, geléia, chocolate.  
  Gordura (Em quantidade moderada);  
  Azeite, banha, manteiga, margarina, queijo, castanhas, côco, carne, aves, peixes gordos.  
  Vitaminas e Minerais;  
  Frutas , verduras, cereais integrais, leite, queijo, fígados, alimentos do mar.
Lembre-se sempre: comer direito significa comer um pouco de cada grupo diariamente e assim você estará ajudando seu corpo a resistir às doenças e em caso de doença, a ficar curado mais rapidamente.

 
  DEFEITOS DA VISÃO  
 
Miopia
 
 

A Miopia é a condição em que os raios de luz são focalizados antes de atingirem a retina. O míope enxerga bem os objetos próximos e, quando tenta focalizar algo mais afastado, procura forçar a vista na tentativa de reduzir a distância. Por isso, para enxergar um ponto mais distante, o míope aperta os olhos. A miopia mais comum é a axial, que se caracteriza pelo olho ser maior que o normal.

 
 
Hipermetropia
 
 

A Hipermetropia é a condição inversa à miopia, em que os raios de luz são focalizados após a retina. A Hipermetropia mais comum é a axial, que se caracteriza pelo olho ser menor do que o normal.
O hipermétrope vê melhor os objetos distantes. Pode- se observar que quem tem este problema costuma colocar o jornal a certa distância para poder lê-lo.

 
 
Astigmatismo
 
 

O Astigmatismo é um defeito causado pela refração diferencial dos raios de luz. A córnea normal é um segmento perfeito, como uma esfera. A córnea de um astigmata apresenta diferentes raios em sua curvatura. Em lugar de um ponto focal, existirão dois, e, por isso, o indivíduo não conseguirá focalizar simultaneamente, num mesmo plano, tudo o que vê. Os astigmáticos geralmente queixam-se de dor de cabeça, dores constantes no globo ocular, sensação de peso e queimação nos olhos.

 
  Estrabismo  
 

O Estrabismo ou vesguice, como é conhecido popularmente, é a condição onde ambos os olhos são desviados do eixo central.
É provocado pelo enfraquecimento dos músculos oculares, ou por algumas doenças graves.
Se perceber o estrabismo na criança, leve-a o mais rápido possível ao oftalmologista. Quanto mais cedo for tratado, melhor!

 
  Daltonismo  
 
O Daltonismo é uma rara perturbação da visão colorida, determinada geneticamente, caracterizada pela falta de reconhecimento de uma ou várias cores.

 
  Presbiopia ou vista cansada  
 
A Presbiopia é uma condição normal onde, principalmente indivíduos acima de 40 anos, têm dificuldade para ler ou enxergar objetos muito próximos (a menos de 45 cm de distância). Esta condição é corrigida com óculos de leitura.

 
  Ambliopia  
 

Ambliopia é uma situação onde a visão da criança não se desenvolve, tornando-se fraca em um olho, ou mesmo nos dois olhos (olho preguiçoso).

Isso pode acontecer mesmo estando a vista aparentemente normal.
Há muitas causas que levam à ambliopia. A principal é o estrabismo. O método mais simples e eficiente para se descobrir a ambliopia é medir separadamente a visão de cada olho.

A ambliopia atinge 4 em cada 100 crianças, sendo que metade delas é estrábica.
Esse mal deve ser descoberto e logo tratado, antes da idade escolar, período em que a visão ainda está se desenvolvendo e pode ser corrigida. O tratamento indicado é o uso de tampão (oclusão) no olho bom, para forçar o olho mais fraco a enxergar mais. Geralmente também é necessário o uso de óculos.

Quando o tratamento é seguido corretamente sob orientação médica e na época adequada, a reversão do processo de ambliopia ocorre praticamente em todos os casos.

 
  LENTES DE CONTATO  
 

O uso de lentes de contato é uma forma eficiente para corrigir a visão, sendo indicado principalmente para fins estéticos, substituindo os óculos em caso de miopia, astigmatismo, hipermetropia e presbiopia ou para mudar a cor dos olhos.
Devido ao contato constante com os olhos, as lentes necessitam de cuidados especiais como limpeza e desinfecção diárias, quinzenais e/ou mensais, bem como um acompanhamento periódico do oftalmologista. Devem sempre ser adaptadas por oftalmologistas e não por técnicos ópticos.

 
  O USO DO ÓCULOS  
 

- Óculos corretivos (com grau) devem ser prescritos pelo oftalmologista após exame completo e detalhado do paciente.
o Os óculos podem ser necessários em crianças com menos de um ano de idade como também em adultos.
- As lentes devem ser de material de boa qualidade, resina ou policarbono.
- Uma criança que precisa, mas não usa os óculos está sendo prejudicada em sua capacidade de aprendizado e em sua forma de observar as coisas ao seu redor.
- Se o uso dos óculos é necessário em uma criança, os pais devem apoiá-la, transmitindo naturalidade com relação ao uso dos mesmos, a fim de contribuir para os bons resultados do tratamento.

 
  O USO DE COLÍRIOS  
 

Os colírios são substâncias desenvolvidas especialmente para doenças dos olhos. Existem muitos tipos de colírios que se destinam a tratar essas doenças. No entanto, como todo medicamento, não devem ser utilizados sem o conhecimento do médico.

 
  Como utilizar o colírio  
 
1. Lave as mãos com água e sabonete.
2. Ponha a cabeça levemente inclinada para trás.
3. Puxe a pálpebra inferior para que a gota do colírio caia dentro do olho.
4. Feche os olhos por 1 ou 2 minutos.
5. Não esfregue os olhos.

 
  Cuidados com o colírio  
 
1. Mantenha o frasco longe da luz e bem fechado.
2. Se o frasco estiver aberto há muito tempo, ou se o prazo de validade estiver vencido, jogue-o fora. A maioria dos colírios só tem estabilidade de 30 dias após abertos.
3. Nunca toque o conta gotas e sempre coloque a tampa em local limpo.

IMPORTANTE: NÃO USE COLÍRIOS POR MAIS TEMPO DO QUE O RECOMENDADO PELO SEU MÉDICO. PODE SER PREJUDICIAL À SUA SAÚDE.

 
  DOENÇAS MAIS COMUNS  
     
  Conjuntivite  
 

A causa mais comum de inflamação da conjuntiva (ou conjuntivite), é a penetração de um corpo estranho ou de poeira excessiva.
A irritação resultante provoca aumento de secreção e afluxo de sangue( que traz células de defesa para combater a invasão de microorganismos).
Além de corpos estranhos, certos microorganismos (bactérias, vírus) poderão produzir efeitos semelhantes.
Outros fatores como defeitos da visão, deficiências de iluminação, esforço prolongado e excessivo da visão e alergias, são fatores comuns de inflamação da conjuntiva.

 
  Terçol(HORDÉOLO)  
 
O Hordéolo, popularmente conhecido por terçol, é a mais freqüente e conhecida afecção das glândulas localizadas na parte interna da pálpebra.
É uma doença produzida por microorganismos conhecidos como estafilococos. Apresenta-se como um abscesso (inchaço) localizado, vermelho, intensamente doloroso, contendo pus em seu interior.

 
 
Pterígio
 
 

O Pterígio é caracterizado por uma pelezinha na superfície do olho que cresce do canto para o meio, sobre a córnea. Seu crescimento se deve em parte, pela luz do sol, poeira ou vento.

Pode provocar queimação, ardor, vermelhidão, o que piora se a pessoa ficar exposta ao sol. Em muitos casos a cirurgia é indicada para removê-lo antes que alcance a pupila, mas também pode estacionar e não ser necessária a sua remoção cirúrgica.

 
 
Olho seco
 
 

Na Síndrome do Olho Seco, o filme lacrimal rompe prematuramente, deixando o epitélio conjuntival e corneano exposto à atmosfera.
Quando a pessoa pisca, o filme lacrimal é refeito, mas novamente se romperá prematuramente.

As causas podem ser diversas: produção insuficiente das glândulas lacrimais, evaporação excessiva das lágrimas, deficiência na produção de substâncias que compõem a lágrima; causas estas, decorrentes de falha orgânica, ou provocadas por acidentes que afetem as glândulas lacrimais.

 
 
Catarata
 
 

A formação de catarata é parte do processo de envelhecimento. É comum nas pessoas mais idosas, mas também pode ocorrer em crianças e jovens.

Seja qual for a causa (trauma, congênita ou senil), o cristalino, a lente natural do olho, se torna opaco, impossibilitando a passagem da luz e conseqüentemente, diminuindo a visão e até provocando a cegueira.

Na maioria dos casos, a cirurgia é indicada para remover o cristalino opaco, e introduzir uma lente intraocular que fará o papel do cristalino, devolvendo a visão ao paciente em mais de 90% dos casos.

 
  Glaucoma Crônico  
 

Parte do olho é preenchido por um líquido chamado humor aquoso. Este é produzido continuamente e seu escoamento também é contínuo.

Em condições anormais, verifica-se aumento de volume do líquido por produção excessiva ou por drenagem deficiente. Como o olho não pode aumentar de volume, aparece o aumento da pressão intra- ocular, levando ao prejuízo da visão.

Trata-se de uma doença perigosa, progressiva e lenta, caracterizada pelo aumento da pressão intra-ocular com diminuição do campo visual e atrofia do nervo óptico. Geralmente começa após os 40 anos e é causa freqüente de cegueira. Normalmente não apresenta sintomas, pois a perda se inicia pela periferia do campo visual.

Pessoas acima dos 40 anos ou que tenham familiares com Glaucoma, devem consultar o oftalmologia a fim de ter a pressão dos olhos medida anualmente.

 
  Glaucoma agudo  
 
Ocorre quando o ângulo por onde é escoado o humor aquoso é muito estreito e em um determinado momento se fecha, levando a um aumento intenso da Pressão Intra Ocular. O quadro clínico é caracterizado por: dor intensa, cefaléia, vômitos, hiperemia e embaçamento visual importante. É uma emergência oftalmológica e deve ser tratada nas primeiras seis horas.

OBS: A HIPERTENSÃO OCULAR IMPLICA EM AUMENTO DA PRESSÃO INTRA OCULAR SEM PREJUIZO VISUAL.


 
  Degeneração senil da Mácula  
 

A Degeneração Senil da Mácula afeta a parte central da retina (tecido nervoso sensível à luz). Toda a retina contribui para a visão, mas somente a mácula define uma visão nítida, que permite ver detalhes. Se sua visão ficar distorcida ou com uma mancha escura no centro, faça logo um exame ocular.

 
  Tracoma  
 

O Tracoma é uma fonte de conjuntivite crônica, não tão comum, mas bastante sério, que aos poucos vai piorando. Costuma durar meses ou até anos, e se não for tratado a tempo, pode provocar a cegueira.

A transmissão ocorre pelo contato direto com a pessoa contaminada, por objetos infectados ou ainda por moscas e mosquitos. É comum em regiões onde existe muita pobreza e falta de higiene.

 
  DIABETES X VISÃO  
 

O Diabetes é uma doença provocada por uma deficiência no pâncreas, que ocasiona o aumento de açúcar no sangue e pode afetar várias partes do organismo, se não for bem controlada.

A visão pode ser afetada de várias maneiras, ocasionando descolamento da retina, formação de catarata e hemorragias de fundo de olho. Quando os níveis de açúcar no sangue são bem controlados, através de regimes alimentares e medicação apropriada, estas doenças podem até mesmo ser evitadas.

 
  O COMPUTADOR E A VISÃO  
 

Alguns conselhos para evitar o desconforto visual ao usar o computador:
- Posicione o monitor para baixo do nível do seu olhar.
- Verifique se o seu ambiente de trabalho e o computador estão recebendo iluminação adequada.

- Dê preferência aos óculos em lugar das lentes de contato.
- Pisque com freqüência.

- Para cada hora de trabalho, descanse 5 minutos, fechando os olhos por alguns instantes.

- Preste sempre atenção aos sintomas oculares e consulte o oftalmologista regularmente.

 
  CUIDADOS DOMÉSTICOS  
 

- Não deixe ao alcance de crianças objetos cortantes ou pontiagudos, tais como facas, tesouras, garfos, chaves de fenda, lápis, canetas, varetas e arames.

- Em sítios e fazendas é preciso muito cuidado com animais como galinhas, patos, gansos, gatos, papagaios, etc., que podem atingir os olhos da criança com bicadas ou arranhões.

- Cuidado para não deixar produtos de limpeza atingir os olhos (água sanitária, soda cáustica, álcool, detergentes, etc.). Caso isso ocorra, lave muito bem os olhos (20 a 30 minutos) com água limpa e, somente após isso, com urgência, procure atendimento médico.

- Muitas plantas domésticas, principalmente as pontudas, as espinhosas, ou aquelas que soltam líquido leitoso (por exemplo: Coroa-de-Cristo), podem causar problemas sérios se atingirem os olhos.

- Pais que fumam nunca devem segurar seus filhos quando estiverem com o cigarro aceso. Assim, evitarão irritações causadas pela fumaça e queimaduras que atinjam o rosto, especialmente os olhos.

 
  CUIDADOS NO TRÂNSITO  
 

- O uso do cinto de segurança é indispensável também dentro da cidade, onde se verifica a maioria dos acidentes com perfurações nos olhos.

- Crianças de até 12 anos de idade devem estar sempre no banco traseiro.
- Jamais leve criança, de qualquer idade, no colo, principalmente no banco da frente.

 
  ACIDENTES OCULARES  
     
  Na Infância  
 

A criança, por sua própria natureza, fica mais exposta a acidentes que atingem os olhos.

A maioria deles ocorre dentro ou nas proximidades de sua casa.
Os mais freqüentes causadores de acidentes são: tesouras, facas, arames, tiros de espingarda de pressão, fogos de artifício (explodindo dentro de latas ou vidros), bicadas e mordidas de animais.

Além desses, tome cuidado com álcool, ácidos, material de limpeza e tintas de parede. Devem ser mantidos fora do alcance de crianças.

 
  Adultos  
 

Os acidentes perfurantes oculares em adultos ocorrem basicamente no trabalho ou no trânsito.

No trabalho deve-se fundamentalmente à falta de uso de equipamentos de proteção específicos para as diversas atividades, e no trânsito pela falta do cinto de segurança.

É indispensável o uso dos óculos, luvas, etc., que as indústrias são obrigadas, por lei, a fornecer aos trabalhadores.

CUIDADOS NO TRABALHO
 
     
  Má Iluminação  
 

O ambiente de trabalho deve ter condições mínimas de higiene, iluminação e ventilação. Quanto à vista, é imprescindível trabalhar com luz branca, sem sombra.

A má iluminação ou excesso de luz causam cansaço visual e diminuição do rendimento no trabalho.

 
  Óculos de Proteção  
 

Se no seu trabalho você fica exposto à poeira, inseticidas, vapores ácidos, solda ou objetos voláteis, nunca deixe de usar os óculos de proteção.

Não se esqueça de usá-los também em casa quando realizar tarefas semelhantes.
Há mais olhos perdidos em acidentes de trabalho do que braços e pernas.
CISCO:

Cisco no olho pode ser muito perigoso, se estiver na frente da pupila. Fagulha de metal, então, nem se fala! Nunca tente retirá-los com objetos caseiros. Esses casos são sempre de urgência, por isso, procure um oftalmologista.

CUIDADO: O USO REPETIDO DE COLÍRIO ANESTÉSICO PODE LEVAR À PERDA DO OLHO.

 
     
  (Fontes: Ministério da Saúde ; Manual da Saúde Ocular do Laboratório Alcon; Manual da Boa Visão, núcleo de prevenção à cegueira, Unicamp)  
     
  I Home I Saúde Ocular I Teste de Visão I  
  I Pergunte aos Médicos I Links I  
  I Trabalhe Conosco I Fale Conosco I Localização I  
© Copyright 2006 - CEDOA - Todos os direitos reservados